quinta-feira, 31 de julho de 2014

POEMA DE HOJE

Jinchul  Kim

Termino  o mês  de julho  com um poeta
 que conheci recentemente .
Trata-se  de Gregorio Duviver , carioca , nascido em 1986,
também ,  ator e roteirista no canal Porta dos Fundos ,
sucesso  de humor brasileiro .
Partilho  com vocês um poema de seu segundo livro
" Ligue  os pontos -poemas de amor e big bang "

"  quando um carro se despede e dá  a partida
sobra  um tempo  em que ainda se pode gritar 
volta  e o carro vai frear  e dar ré  e volto
meu amor  por você eu volto sempre  e  por
 enquanto   não se  desespere  é como se o carro 
ainda  não tivesse partido  ele só  parte  mesmo 
para  sempre  depois da curva  em que você 
pode espernear  gritando voltas  euteamos 
e  meperdoas  que o seu grito  se confunde 
com  os  barulhos  do mundo  e a sua figura 
patética  já nem sequer  figura  no retrovisor . "

Gregorio  Duviver  

Som  na  caixa ...



27 comentários:

  1. Poesia linda, bem escolhida! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  2. Antes da curva é um ponto de vista, mas há outro: quando um carro se despede, tanto se pode ficar para trás com um olhar triste sem força para o grito, como pode ser um olhar feroz ou indiferente, ou arregalado, sem um alvo, perdido, sem luz. Melhor seria o olho-por-olho, dente-por-dente? Como saber o que seria mais prudente, se o olho não é de vidro e se os olhos enormes já nada elucidam? Um belo texto. O poeta mostra que sabe empunhar a palavra...
    Beijos, Marisa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você faz da palavra o que quer , José Carlos . E ter seus comentários nos textos que escolho é um presente . Obrigada . Beijos .

      Excluir
  3. Gostei de conhecer Gregorio e achei piada à metáfora do carro que só depois da curva é que desaparece e nada há a fazer.

    Gosto muito da voz de Marisa , mas nunca a ouvi ao vivo.

    Obrigada por estes momentos e tenha bom final de semana :)



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive o prazer de apresentá-lo , São . Como você , também gosto bastante da Marisa Monte . Me alegra sua aprovação do post . Beijos .

      Excluir
  4. Oi Marisa,

    Estou voltando de férias e vim agradecer o carinho.
    Não sabia que o Gregório escrevia poemas, e muito bem…como ele traduziu com imagens os sentimentos de um casal num momento tão delicado!
    Obrigada por compartilhar.
    Bjs e ótimo final de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane , o Gregorio Duvivier faz tão bem humor como faz poesia . Eu conheci seu lado poético há pouco tempo e muito me agradou . Agradeço a visita . Beijos

      Excluir
  5. Boa noite,
    A despedida tem duas vertentes, pode ser a de esperança do regresso em breve ou o afastamento definitivo, antes da ultima curva pode acontecer a paragem.
    Dia feliz
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma questão de escolha , António . Concorda ? Também lhe desejo dias felizes . Beijos .

      Excluir
  6. Lisette , saber que lhe agradou o poema me deixa feliz . Beijos

    ResponderExcluir
  7. Um jovem poeta com muita originalidade e talento.
    Gostei de como ele, talvez devido a essa faceta (aqui subliminar) de humorista, apelidou de "patética" a figura que eventualmente possamos fazer parante uma situação de despedida...:-)
    E também gostei da Marisa Monte, claro!
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura , seus comentários são sempre interessantes . Obrigada . Você sabe como suas visitas me alegram . Beijos .

      Excluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Concordo com você , Mar . Beijos .

    ResponderExcluir
  10. OI MARISA!
    UM POETA JOVEM, COM UMA FORMA DIFERENTE DE ESCREVER, QUE FAZ SITUAÇÕES DRAMÁTICAS SE TORNAREM HILÁRIAS.
    MUITO BOM, GOSTEI.
    BOA NOITE AMIGA
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ele é muito bom mesmo , Zilani .
    Fico contente pela aprovação .
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Boa noite, Marisa. Pois é, essa curva é muito perigosa, não tem como o carro voltar, certamente ele perderá a direção e nada mais poderá ser feito.
    Creio que é melhor observar antes de chegar a curva, a fim de que ainda exista uma solução para desacelerar e o amor não deixar se perder.
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comungo de seu pensamento , Patrícia .
      É bom fazer a escolha , antes da curva .
      Agradeço sua vinda .
      Beijos

      Excluir
  13. Olá,boa noite,Marisa
    não o conhecia, G.Duviver, muito criativo e original, obrigado por compartilhar...
    Obrigado pelo carinho, bela continuação da semana,beijos!

    ResponderExcluir
  14. Felisberto , eu também conheci o Gregorio Duvivier , como poeta , há pouco tempo . Só sabia dele pelo humorístico " Porta dos Fundos " . Gostei de seus poemas e postarei alguns mais . Beijos e obrigada pela visita .

    ResponderExcluir
  15. Excelente metáfora para descrever esses momentos em que ainda se pode regressar...
    Obg, pela partilhas.
    Bjo, Marisa

    ResponderExcluir
  16. Agradeço a aprovação , Odete . Alegria tê-la por aqui . Beijos

    ResponderExcluir