domingo, 15 de julho de 2018

A FORMA COMO ME AMAS , MÃE

Lauri  Blanc 

" Há qualquer coisa de Deus na forma como me amas , mãe .
As pessoas não são tão grandes como tu , as pessoas não
aguentam tanto a vida como tu .
As pessoas choram , as pessoas sofrem , as pessoas passam
pela vida à procura  da melhor maneira de viver . 
Mas tu amas-me  , mãe .
Tu amas-me assim , sem condições , e parece que quando 
me amas  nem sequer existes .
 Apenas ficas ali ,  a ver me existir ,  e é assim que descobres
e me ensinas  que a vida  se resume a ver quem amas viver .

Há qualquer coisa de impossível
  na forma  como me amas, mãe .
O possível teria que exigir que parasses quando te dói  ,
 que parasses quando o mundo , o filha da puta do mundo ,
 te obriga a inventares novas maneiras
  de me dares tudo o que  eu preciso .
O possível iria dizer-te que não ,  que uma só pessoa ,
 tão pequena e tão grande  como tu , não pode suportar 
todo o peso de duas vidas . 
E tu ainda aí estás ,  tão forte como só tu , 
tão impossível como só tu .
A sorrir quando me vês de caderno na mão
a dizer que sou o melhor aluno da turma . 
É claro que é bom ser bom aluno ,  mas  o meu maior
orgulho é ser filho da mãe mais impossível do mundo .


Há  qualquer coisa de genial 
 na forma como me amas , mãe .
As pessoas não inventam o tempo como tu ,
 as pessoas não conseguem entender  qual é a equação
 que permite  estar sempre onde tem  que se estar ,
 as pessoas chegam atrasadas  , as pessoas
falham as responsabilidades , 
 as pessoas por vezes esquecem-se do que tem de fazer , 
as pessoas  não conseguem fazer com que 
metade  do que precisariam para viver
 chega para viverem sem nada lhes faltar .
E tu consegues o milagre da multiplicação dos pães  e dos
corpos , estás no sítio exato  onde te preciso ,
 na hora exata onde te preciso  com as  palavras exatas 
 de que preciso, a falaras-me de como é importante 
 acreditar que não sabemos nada ,
 e  eu ouço-te  e percebo que o segredo da tua existência 
é saberes que só o amor  derrota a matemática  e que
 número nenhum está  à  altura de quando me abraças .

Há qualquer coisa do eu todo 
 na forma como me amas , mãe .
E quando me perguntarem  que idade tem a minha mãe 
direi apenas que para sempre . "

Pedro Chagas Freitas , in " Prometo falhar "

Som  na  caixa ...


terça-feira, 26 de junho de 2018

POEMAS DE HOJE ...


          O livro do  artista plástico ,
 desenhista e poeta 
ANDRÉ DAHMER ,  é sobre o fim 
de um relacionamento .
Nas pouco mais de 50 páginas seus versos
livres  fluem  e nos encantam .

Antes de lhes mostrar alguns  poemas 
que selecionei  preciso lhes dizer que tive 
problemas com o blog .
Não conseguia postar e tampouco  visualizar os
comentários que deixavam.
Assim , exclui a  moderação  na esperança
de voltar a tê-los  neste espaço .
Beijos a todos 


"     vocês não me conhecem 

antes de virar essa  coisa
eu ria sorria  gargalhava 

eu aconselhava pessoas tristes 

limpava minha casa 
porque tinha uma casa 
e vestia roupa de dormir 
porque dormia 

eu tomava banho de sol e chuva 
eu tomava banho " 


"   gosto  muito desse quadro 
sua mãe lhe deu  essa geladeira
essa adega é minha 
você prefere ficar com as plantas 
ou as estantes ?

esses livros não me interessam 
você nunca gostou realmente de plantas 
meu  pai levará tudo de carro 
você paga a babá 
eu pago a escola 

quero você muito feliz 
não beba muito 
amor "


" desejo 

que seu cheiro se torne insuportável 

que você quebre  o objeto que mais gosto 

bata nos meus pais 
e receba uma proposta irrecusável 
para trabalhar no japão "


" amor é assim 

quem nunca perdeu 
não sabe o que está perdendo " 


" a noite faz meus curativos 
a noite beija meus machucados 
a noite impede que você se banhe 
com a água sagrada do meu olho "


" eu preciso de mais uma tarde com você
uma tarde 

ou meia tarde 
ou uma hora 
ou quarenta minutos 

eu preciso de mais trinta segundos com você " 



Som  na  caixa ...


segunda-feira, 11 de junho de 2018

O MUNDO

Rozanne  Bell

" Um  homem da aldeia de Neguá , no litoral da 
Colômbia , conseguiu subir aos céus .
Quando voltou , contou .
Disse que tinha contemplado , lá do alto ,
a vida humana .
E disse que somos um mar de fogueirinhas .
- O mundo é isso -  revelou -.
Um montão de gente , um mar de fogueirinhas .
Cada pessoa brilha com luz própria  entre todas
as outras .
Não existem duas fogueiras iguais .
Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas 
e fogueiras de todas as cores .
Existe gente de fogo sereno ,
que nem percebe o vento ,
 e gente de fogo louco ,
que enche o ar de chispas .
Alguns fogos , fogos bobos , 
não alumiam nem queimam ;
mas outros incendeiam a vida 
com tamanha vontade  que é impossível 
olhar para eles  sem pestanejar ,
e quem chegar perto pega fogo ."

Eduardo Galeano 
in , " O Livro dos Abraços "

Som  na  caixa ... 


terça-feira, 22 de maio de 2018

RUBEM ALVES

Duy  Huynh

" Duas mulheres conversam sobre seus amores .
Uma delas diz : Eu o amo porque o amo .
Pelas coisas que ele me fala . Me canta canções.
Me mostra o mundo .
 Toca meu corpo , e  ele estremece . 
Nada me dá ,  mas me faz bonita ...
Eu o amarei  mesmo que me abandone .
Sentirei saudades ...
A outra diz :
Eu o amo porque está sempre pronto a 
atender meus desejos .
Nada me recusa .
Quando não me quer dar eu choro , 
insisto , prometo beijos e ele muda de idéia ...
Assim são os dois tipos de religião ."

Rubem  Alves ,
no livro " Mais badulaques "

Som  na  caixa ...


sexta-feira, 4 de maio de 2018

CELEBRAÇÕES

Pascal Roy 

 Gosto de Maio.
Celebro bastante .
Nascimento  de meu segundo filho , Felipe . 
Nascimento deste blog , há 08 anos .
Meu primeiro dia das mães , há 36 anos .
Partilho com vocês um texto da escritora ,
que tanto gosto,  Lya Luft   e aproveito para
desejar um feliz dia das mães a todas 
as amigas , em Portugal dia 06 de maio
e no Brasil dia 13 .


" O tempo adquire  uma nova dimensão 
quando a gente tem filhos . 
Nada se compara ao assombro de parir
um ser humano - uma nova pessoa existindo.
Tem nome , tem vida , tem futuro , tem todo
um tempo impenetrável à frente .
A responsabilidade , os cuidados ; 
a impotência diante do seu destino ;
o amor desmesurado , que tonteia , delicado ,
intenso , feroz  na defesa ,
 mágico nas intuições .
Criança morninha vindo para a cama de
madrugada , nunca foi tão  doce perder o
sono ; adolescente mais alto que a gente
 mudando de voz ; 
menina lindíssima saindo com o 
primeiro namorado ;
 e o futuro no qual não esteremos  sempre
 aí na ilusão de que estamos protegendo .
Quanto mais dividida nesses cuidados ,
mais inteira fica nossa vida .
E o tempo de despedir , de deixar que se vá 
para viver seu tempo ,
 esse filho , essa filha :
essa dádiva  que o tempo não faz empalidecer 
mas perdura  quando quase todo o resto
se esvai ".     

in , " O tempo é um rio que corre "

Som na caixa ...
 

quarta-feira, 25 de abril de 2018

NOVAMENTE , JOSÉ LUÍS PEIXOTO

Norman Wilson 


" o tempo , subitamente solto pelas ruas e pelos
dias , como a onda de uma tempestade  a 
arrastar  o mundo . mostra-me o quanto te amei 
antes de te conhecer . eram os teus olhos , labirintos
de água ,  terra , fogo, ar , que eu amava  quando 
imaginava que amava , era a tua voz que dizia palvras
da vida , era o teu rosto . era a tua pele . antes de te
conhecer , existias nas árvores e nos montes  e nas 
nuvens que olhava ao fim da tarde .
muito longe de mim , dentro de mim ,
eras tu a claridade ."

Do livro " A criança em ruínas "  

Som  na  caixa ...


segunda-feira, 16 de abril de 2018

POEMA DE HOJE ...

JPM /OLHARES .COM 

" no papel , as palavras escondidas , as nuvens .
dizes não posso  ser o mundo hoje ,esqueces
que tu  és o mundo . dizes não posso , eu gostava
que soubesses sempre que um lamento dentro de
mim  te repete . abro o papel dobrado e abro a 
noite no céu . as árvores são distantes , as palavras
e talvez a música , a terra é distante no papel dobrado
que me entregas escondido na mão . "  

José Luís Peixoto 
in , "  A criança em ruínas "

Som  na  caixa ...