sábado, 9 de abril de 2016

AMIGOS TELEFÔNICOS

Waleska  Nomura 

Duas décadas depois da morte de Caio  Fernando Abreu , 
suas crônicas continuam atuais .
Transcrevo fragmentos desta que foi publicada 
no jornal " O Estado de São Paulo ", em 27/05/1986 , para
apreciação de vocês  .

"  Amigos telefônicos são preciosos .
E , por isso mesmo , raros .
Eu tenho três ou quatro , e bastam .
Amigo telefônico  é assim : você só fala com ele por 
telefone. Ou fala pessoalmente também , mas é
completamente diferente . 
Quando você encontra muito seguido um amigo telefônico,
a amizade se divide  em duas amizades paralelas :
a que acontece cara a cara  e a que  acontece telefonicamente .
Esta , sempre mais funda .
Há coisas que só se diz por telefone : telefone  elimina rosto ,
gesto , movimento : a voz fica absoluta .

( ...)

A gente recorre    a amigo  telefônico quando  alguma coisa
não cabe por dentro . Não apenas dor .
A gente recorre a ele também  quando alguma coisa boa 
não cabe  dentro sozinha : tem que ser dita .
Você liga pra dizer que está feliz . Teve uma iluminação , 
pressentimento , uma fantasia , desejo .
As pautas desenvolvidas  na amizade telefônica podem ser
muito abstratas , entende ?
E essa é outra  das grandes diferenças
 entre a amizade telefônica e a outra :
 poder falar de coisas que quase aconteceram .
Ou que deviam acontecer .
Um pouco como em carta .
 Antigamente , a carta era o equivalente do telefone . 
Porque na carta , também você diz coisas que ,cara a cara , 
não seriam dizíveis .

( ...)

Com amigo telefônico , toda a obrigação de parecer lúcido ,
consciente e equilibrado  é inteiramente desnecessária .
Se uma terceira pessoa  ouvisse um papo  entre dois velhos
amigos telefônicos , provavelmente , acharia completamente
louco .  
Na amizade telefônica , a lógica é tão sutil  que parece
não existir . Mas existe .     
Há também os silêncios .
Silêncio  de amizade cara a cara quase
 sempre soa constrangedor .
Em amizade  telefônica , nunca :
 um fica ouvindo a respiração 
do outro  durante muito tempo .
E não precisa dizer nada .
 A respiração do  outro  fala :
Olha , estou aqui , está tudo bem , seja o que for ,
vai dar certo , estou atento ao seu coração , você está atento
ao meu , e, por estarmos atentos ao coração um do outro ,
só por  isso -  ele fica mais leve o coração .
Agora  são sete horas da manhã , estou pensando em meus
amigos telefônicos .
Mas não telefono . 
Amigo telefônico costuma dormir até tarde ,
principalmente , às segundas-feiras - 
porque as noites de domingo -
ah , essas são particularmente telefônicas .
E eles  são solitários , esses amigos  meio estranhos :
ouvem vozes . 
Por isto mesmo , ponho um disco do João Gilberto
bem baixinho  e dou um beijo a distância
  na testa de cada um  deles .
Envio pelo espaço a voz de João  para embalá-los  nesse sono
da manhã feriada  e chuvosa .
Que nem canção de ninar - me liga , tá ? "

Som  na  caixa ...


27 comentários:

  1. Que lindo isso! Não conhecia essa poesia dele> Gostei e há amizades assim mesmo! bjs, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As descrições do Caio Fernando são precisas , concorda ?
      Agradeço a visita , Chica .
      Beijos

      Excluir
  2. Que beleza essa crônica, gosto muito dos escritos dele...Adorei a música, combinou direitinho!
    Bom final de semana
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico contente por tê-la agradado , Cristiane . Beijos

      Excluir
  3. Olá, Marisa.
    Há os amigos telefónicos que são uns amigos com ouvido amigo ;)
    Actualmente também há os amigos virtuais, que seguem a mesma "linha" ;)

    bjn amg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos a mesma opinião , Carmem .
      Hoje em dia há amigos virtuais que sabem nos ouvir .
      Beijos

      Excluir
  4. Tão belo!
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  5. ⊱✿.*☆*.¸✽ ¸.*♡*.✿⊰✽⊱✿.*☆*.¸✽¸.*♡*.✿⊰
    Vim bordar um recadinho no seu blog para lhe desejar um feliz domingo e te convidar para visitar meu canal no youtube e coloquei um vídeo lá mostrando como ficou meu ateliê depois da pintura, ficou bem simples e do jeitinho que eu gosto de trabalhar. Se gostar do vídeo deixa lá um joinha e um comentário que eu vou amar demais! Agradeço desde já sua atenção :)
    https://www.youtube.com/watch?v=vRkRrhm81JE
    http://hildasbordados.blogspot.com.br/
    Beijos em todos no ❤
    ⊱✿.*☆*.¸✽ ¸.*♡*.✿⊰✽⊱✿.*☆*.¸✽¸.*♡*.✿⊰⊱✿.*☆*.¸✽

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estive no seu canal , Hilda .
      Muito bom .
      Beijos

      Excluir
  6. Os afectos, expressem-se eles da forma que for, são mais que tudo, Marisa.
    (Não conheço muito do Caio. Ele tinha sensibilidade à flor da pele, não?)

    Um beijinho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ac , no dizer de Caio Fernando :
      " Escrever significa mexer com funduras como Clarice , feito Pessoa ."
      Sim , que sensibilidade .
      Beijos

      Excluir
  7. Querida Marisa,

    Um texto maravilhoso no tom do
    encantamento em harmonia com o tom
    da Bossa Nova e o seu criador, o
    genial João Gilberto!...
    Para mim, a Bossa Nova é poesia
    e uma pena não ter ficado sempre
    como o Jazz, Blues e outros ritmos
    que permanecem...
    Com a nossa sintonia aquariana em
    dia!...rss
    Uma semana radiante para ti!
    Beijinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suzete , a escrita do Caio Fernando mostra bem quão importante é a sintonia entre as pessoas .
      Salve a nossa .
      Beijos e obrigada por vir .

      Excluir
  8. Olá Marisa,

    Interessante a crônica. Gostei muito. As cartas de antigamente lembram mesmo este tipo de amizade. Lembrei-me também dos amigos virtuais que, como mencionou a Carmem, funcionam tal qual.

    Bom de ouvir João Gilberto.

    Feliz semana.

    Beijo.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vera Lúcia , os amigos virtuais que chegaram através deste meu espaço me alegram como se telefônicos fossem .
      Beijos

      Excluir
  9. Bom dia, tudo que o Caio Fernando Abreu escreveu foi importante e continua a ser importante pela mensagem que passa.
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo , António .
      Venha sempre .
      Abraços

      Excluir
  10. Um texto fantástico de Caio Abreu que não passa de tempo continua actual.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que o bem querer sempre atual será , não é mesmo ?
      Abraços . Francisco .

      Excluir
  11. Infelizmente não conheço muito do Caio Abreu... De facto a voz fica "absoluta" no telefone, e antes do telefone era a carta a cumprir a ligação à distância entre amigos e amantes.
    Ah adoro esse "Desafinado" do João Gilberto! É que os desafinados também têm coração.
    Belo post, Marisa. Gostei muito, e sempre aprendo mais alguma coisa por aqui. :-)
    Boa semana.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estes encontros que a blogosfera nos proporciona são presentes .
      Estamos sempre aprendendo uns com os outros .
      Há trocas que nos fazem crescer .
      Agradeço muito suas visitas , Laura .
      Beijos

      Excluir
  12. Música que será sempre prazerosa de se ouvir. Encantada e linda. Hoje, esses amigos telefônicos já fazem outra opção de contato. As palavras do grande escritor, no entanto, traduzem com perfeição esse falar à distância, sem o visual, aberto e descompromissado. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os amigos que o escritor nos apresenta são encontrados por aqui também .
      Acolhimento , canção de ninar .
      Beijos , Marilene

      Excluir
  13. E não é mesmo verdade? Nos dias que correm os amigos virtuais cumprem bem essa função, não é mesmo, Marisa?
    :)

    ResponderExcluir
  14. Sim , Jussara . Somos todos os amigos telefônicos aludidos pelo Caio Fernando .
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Tão bom , mas tão bom ter podido ler sobre estes "amigos telefónicos". É mesmo como Caio escreve, só que eu não conseguiria exprimir-me assim!
    Muito boa, também, a escolha musical.
    Bjo, Marisa :)

    ResponderExcluir