quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

INUNDAR DE INFÂNCIA

Graciela Rodo Boulanger 

" Hoje acordei sem dia ,
a casa sem lar ,
a cama sem leito .

Hoje  acordei sem mim .

Saí  à rua ,
para  me deixar possuir 
pela simples leveza de existir .

Crianças passaram por mim ,
aos bandos de espantar ,
com folias e desmandos ,
nessa fabricação de milagres 
que é o absoluto brincar .

Dentro de mim 
o universo se dissolveu 
e um respirar de céu 
em meu peito se inundou .

Seria a Vida ,
seria o Tempo sem nostalgia ,
ou seria ,  apenas, a poesia ? 

Sei que havia um fluir de rio 
levando antiquissimas  dores .

E do cristal de tristeza 
que antes me negava o ar ,
desse nó de vazio , 
voltou a nascer  o mar . "

Mia Couto ,
in " vagas e lumes "


Som na caixa ...



17 comentários:

  1. Adoro Mia Couto...Lindo! bjs praianos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica , Mia Couto sempre nos encantando , não é ? Agradeço a visita . Aproveite as férias . Beijos

      Excluir
  2. Primeiro adorei a imagem, encantadora
    e lúdico. O poema é belíssimo,
    o Mia Couto tem uma sensibilidade
    e originalidade marcante na sua
    poesia e literatura, sempre nos
    envolve, evocando sentires únicos.
    O som na caixa foi um voo
    delicioso e como a maluca aqui
    adora voar (mesmo que seja
    na imaginação. ..) , foi um
    momento maravilhoso aqui,
    minha querida amiga!
    Grata!
    Um final de semana luminoso,
    alto astral e inspirador, querida
    Marisa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suzete , também me agrada o trabalho da artista Graciela Rodo Boulanger e resolvi fazer a imagem como pano de fundo à inundação de infância proposta no poema de Mia Couto . Pelo jeito , viajamos todos na música que veio para preencher o post . Muito obrigada pela presença carinhosa . Beijos , amiga .

      Excluir
  3. Belíssima a forma como o nosso Mia se exprimiu em verso para dar conta de como a simples observação do pulsar da vida lá fora, nos é respiração para continuar o caminho que, frequentemente, nos surge embrumado.
    Mais um momento perfeito em termos estéticos, amiga!
    Parabéns, Bjinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odete , fico feliz quando os amigos aprovam minhas escolhas .Obrigada . Beijos

      Excluir
  4. "Inundar de infância" esse mundo... ah, como seria bom!

    ResponderExcluir
  5. Excelente escolha, que poema lindo.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  6. Belo e reflexivo poema. Linda partilha.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edith ,
      Mia Couto nos refletir sempre e de forma poética .Gosto demais .Bom final de semana .

      Excluir
  7. Magnifica a poesia desse grande escritor que é o Mia Couto.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francisco ,
      Não há quem não goste da escrita do Mia Couto , concorda ?
      Abraços

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  8. Olá, Mia couto e a sua bela poesia, "seria o Tempo sem nostalgia" talvez fosse poesia.
    AG

    ResponderExcluir