sexta-feira, 13 de setembro de 2013

DIVERSONAGENS SUSPERSAS

Leandro Lamas

" Meu verso , temo , vem do berço .
Não versejo porque eu  quero ,
versejo quando converso
e converso por conversar .
Pra que sirvo senão pra isto ,
pra ser vinte e pra ser visto ,
pra ser versa e pra ser vice ,
pra ser a supersuperfície
onde o verbo vem ser mais ?

Não sirvo pra observar .
Verso , persevero e conservo  
um susto de quem se perde
no exato lugar onde está .

Onde estará meu verso ?
Em algum lugar  de um lugar ,
onde o avesso do inverso
começa a ver e ficar .
Por mais prosas que eu perverta ,
não permita  Deus que eu perca
meu jeito de versejar ."

Paulo Leminski
in , " Toda Poesia "

Som  na caixa ...




14 comentários:

  1. Marisa

    É uma diversificação de poesia, como nunca tinha lido. O certo é que gostei do modo de fugir à vulgaridade. Por outro lado, é boa experiência.
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel ,
      Leminski ao sobrepor as palavras , realiza uma amálgama de diversas-personagens-suspensas , confirmando sua dispersão e divergência , não é ?
      Agradeço a visita .
      Abraços

      Excluir
  2. ¡¡¡Que maravilloso jeito de versejar!!!
    Original, Genuina...Magistral Entrada con esta Poesía de Paul Leminski.
    Abraços e beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você , Pedro Luis .
      A base poética de Leminski é composta de leveza , rapidez , exatidão e , sobretudo , originalidade .
      Beijos

      Excluir
  3. Olá!Boa tarde
    Marisa
    ... gosto muito do estilo do Paulo, dos recursos visuais, do humor e trocadilhos, o verdadeiro "divertir" com as palavras, um estilo único de versejar.
    Agradeço pelo carinho
    Belo final de semana
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também , Felisberto .
      Paulo Leminski tem uma amplitude do conceito de linguagem que exerce fascínio .
      Beijos

      Excluir
  4. Preciosa me ha gustado mucho, felicidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juan Jose Pedro ,

      Fico contente que tenha vindo e gostado do poema .
      Beijos

      Excluir
  5. " Por mais prosas que eu perverta ,
    não permita Deus que eu perca
    meu jeito de versejar ." Maravilhoso Paulo Leminski.
    Marisa boa semana pra você. Sempre tão carinhosa com suas palavras. Beijo!!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milene Cristina ,

      Esta releitura do poema do Gonçalves Dias:
      " Não permita Deus que eu morra sem que eu volte para lá " , é mesmo de artista
      criativo .
      Beijos

      Excluir
  6. " Por mais prosas que eu perverta ,
    não permita Deus que eu perca
    meu jeito de versejar .""

    Ele é o cara.

    Peço sempre a mesma coisa. Embora a prosa seja mais perversa comigo e me abandone mais.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom ter vindo , Mateus .
      Estou com você ,Leminski é o cara .
      É para a poesia que a obra de Leminski converge sem desconsiderar seus escritos em prosa ( cartas , traduções , ensaios e romances ).
      Beijos

      Excluir
  7. Marisa,

    Perfeita frase que deixou para mim: "vou ser feliz e já volto." É isso que estou fazendo, tentando.

    Obs.: amo Barry White. É demais de bom.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sissym ,
      Sabe que curto muito seus blogs e quando passeio por eles fico com a alma acarinhada .
      " Vou ser feliz e já volto " , sempre me acompanha .
      Beijos , querida

      Excluir