sexta-feira, 30 de maio de 2014

POEMA DE HOJE ...

Steven  Graber

" Quando   pensei  que estava tudo cumprido ,
havia  outra  surpresa :  mais uma curva 
do rio , mais riso ,
mais  pranto .

Quando calculei que tudo estava pago,
anunciaram-se   novas  dívidas e juros ,
o amor e o desafio .

Quando  achei  que  estava  serena ,
os  caminhos  se  espalmaram
como dedos de espanto 

em cortinas  aflitas . E  eu espio ,
ainda que o olhar seja grande 
e a fresta  pequena ."

Lya Luft 
in , " O tempo é um rio que corre " 

Som  na  caixa ...


38 comentários:

  1. "O tempo é um rio que corre", por vezes assim...lindamente, com poesia e música!
    Obrigada, Marisa.
    Um beijo, bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente , Lúcia . O rio vai correndo e trazendo beleza , na maior parte das vezes . Agradeço sua vinda . Beijos

      Excluir
  2. Olá, Marisa! Tendo a gostar mais da Lya Luft ficcionista, mas esse fragmento da poeta me agradou demais... por me lembrar das curvas e dos caminhos que se espalmam a provocarem surpresas. Também eu num momento de pensar que está tudo pago, em que, serena, acho que já ri e chorei o bastante... Ahhh... as surpresas do caminho!
    Amei!
    Abraço,
    Jussara - minasdemim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim , Jussara . As surpresas são muitas no caminho . Agradeço ter vindo e parabenizo-a pela publicação de mais um livro . Beijos

      Excluir
  3. Lya é maravilhosa e escolheste muito bem! beijos,lindo fds!chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo , Chica . Ler Lya nos deixa fascinados . Beijos

      Excluir
  4. O tempo corre, e quando se pensa que não existirá grande novidade, eis que aparece essa curva com alguma surpresa indesejável. Um rio que pode trazer espanto e aflição, e tentar contornar certas curvas será muito difícil sem molhar os pés...;-)
    Belo poema de Lya Luft, que não conhecia, tal como também desconhecia essa versão de " Bridge over trouble water". Já ganhei o dia!
    xx

    ResponderExcluir
  5. Laura , as curvas do rio também nos trazem surpresas muito boas . Agradeço sua visita e me alegro que tenha gostado da publicação . Beijos

    ResponderExcluir
  6. La Vida esta llena de Contrastes y Sorpresas y eso la hace divina y bella.
    Preciosa Poesía, como siempre.
    Abraços e Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro Luis , as surpresas que a vida nos faz é o que nos move , concorda ? Saiba que me alegra quando vem me visitar . Beijos e boa semana .

      Excluir
  7. A vida é isso mesmo: uma torrente de surpresas, um chão que inesperadamente nos pode fugir sob os pés.

    Boa opção a da canção, sempre agradável de re-ouvir.

    Bons sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta é a primeira vez que vem a este espaço e faz colocações precisas . São as surpresas que a vida nos faz . Agradeço . Venha mais . Venha sempre . Beijos

      Excluir
    2. Obrigada pela amabilidade e , creia, virei sempre.

      Meus comentário são, geralmente , concisos e breves.

      Bem haja!

      Excluir
  8. Oi, Marisa. Realmente temos afinidades. Tenho este livro da Lya. Todos os poemas são sublimes. Ela tem uma sensibilidade feminina que sempre me encanta. Veja também dela O lado fatal. è minha Bíblia poética. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nidia , você foi das primeiras companhias minhas neste espaço . Coincidentemente , poesia e prosa estão presentes , quase que simultaneamente, nos nossos blogs . É muito bom . Vamos repartindo o que nos faz bem à alma . São as surpresas que a vida nos faz , também , através da blogosfera . Gostei bastante do livro "O lado fatal " , onde a Lya Luft nos apresenta poemas doloridos pela perda do marido Hélio Pellegrino . Beijos .

      Excluir
  9. Há rios que atravessam a sombra

    das pontes

    ResponderExcluir
  10. Um poema, que não conhecia, mas que se me adapta: aposentei-me (antecipadamente e com penalização salarial, mas havia que aproveitar as condições...) recentemente, pensando que ia ter um tempo mais adequado aos meus prazeres, como a escrita. Engano. Há sempre algo com que não contamos e, de facto a vida é água a passar por debaixo das pontes..Gostei!
    Bjo :)

    ResponderExcluir
  11. E rios que trazem novos poetas a serem conhecidos . Obrigada . Abraços

    ResponderExcluir
  12. Odete , obrigada por vir . Gostei demais da sua escrita . Seu blog é muito bom ! Aceite meu convite e esteja sempre por aqui . Beijos

    ResponderExcluir
  13. E como correm... mas sem surpresas a vida seria muito monótona não é mesmo? A vida é isso mesmo, sempre uma superação! Marisa querida, obrigada pelas visitas e o carinho comigo e o blog. Sou imensamente grata, principalmente nesse momento, quando não posso estar tão presente. Mas aos poucos vou retomando minha rotina e visitas...
    beijo querida e uma linda semana,
    Denise - dojeitode.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denise , a vida seria muito monótona se não houvesse surpresas , concordo com você . Visitar seu blog é um prazer , sempre temas diferentes com sua escrita perfeita . Portanto , não há o que agradecer , amiga . Beijos e ótima semana .

      Excluir
  14. Oi Marisa, que belo poema da Lya Luft. Confesso que não curto muito essa autora, mas este poema é muito bom.
    Adorei a pintura.
    Bjs e ótima semana

    ResponderExcluir
  15. Cristiane , me alegra ter aprovado minha escolha . Agradeço a visita . Beijos e bela semana .

    ResponderExcluir
  16. Não bastam esperanças, desejos vontades.

    A vida é como rio, corre por onde lhe apetece.

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pérola , primeiramente agradeço que passe a me acompanhar no blog . Depois , manifestar minha concordância com seu comentário . Acredito na lição de Heráclito de Éfeso : " Não podemos entrar duas vezes no mesmo
      rio , porque as águas não são as mesmas e nós não somos os mesmos . " Beijos e boa semana

      Excluir
  17. Olá,boa tarde, Marisa
    L.Luft, e assim seguimos nossas vidas... um dia com a certeza do dever cumprido, outro na certeza que há mais à seguir. Ainda que doa às vezes.Ainda assim, vivo na certeza de chegar novamente...
    Obrigado pelo carinho,bela semana,paz e luz,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felisberto , a Lya Luft , conforme o título do livro , vai nos contando como o tempo é um rio que corre , através da sua história de vida . No poema postado, explica que após ter ficado viúva duas vezes não imaginava que , depois de certo tempo , numa curva do rio , encontraria o atual marido . Obrigada por ter vindo . Beijos e boa semana .

      Excluir
  18. Me alegra que tenha gostado , Lisette . Beijos .

    ResponderExcluir
  19. Confesso que fiquei dividido entre o olhar de Lya e a admiração pela bela tela de Steve. O primeiro, rico no traço e no olhar; e o segundo, olhar rico na linguagem sedutora, que nos faz enxergar por qualquer fresta e banhar-nos em águas sempre renovadas de bons textos, que o seu olhar, também único, pinça com acuidade.
    Beijos, Marisa!

    ResponderExcluir
  20. José Carlos , esperava por você . Seus comentários abrilhantam este espaço e me deixam muito contente . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde,
    A tela é maravilhosa, tive oportunidade que encontrar por varias vezes copias da tela.
    O tempo corre, nós ficamos sem tempo para acompanhar o tempo.
    Dia feliz
    ag
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  22. António , quando a escolha agrada os amigos fico feliz . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir
  23. O poema é muito bom. Não conhecia e adorei.
    A tela é suave e ao mesmo tempo marcante.
    O conjunto é inolvidável.
    Um beijo. D

    http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  24. Muito obrigada , D . É tão bom quando os amigos gostam . Beijos

    ResponderExcluir
  25. Respostas
    1. Bom ter vindo e gostado , Ricardo . Obrigada . Beijos

      Excluir