domingo, 7 de setembro de 2014

A PAIXÃO GREGA

Elena  Taras 

" Li  algures  que os gregos antigos não escreviam necrológicos ,
quando  alguém  morria  perguntavam  apenas :
tinha  paixão ?
quando  alguém  morre também  eu  quero saber 
da qualidade  da  sua  paixão :
se  tinha  paixão  pelas coisas  gerais ,
água ,
música ,
 pelo talento de algumas palavras para se moverem no caos ,
pelo corpo salvo  dos seus próprios precipícios
  em  destino à glória ,
paixão pela paixão ,
tinha ?
e então indago de mim se eu próprio tenho paixão ,
se  posso morrer gregamente ,
que paixão ?
os grandes animais selvagens extinguem-se na terra ,
os grandes poemas  desaparecem nas grandes línguas 
que desaparecem ,
homens e mulheres  perdem  a  aura 
na usura ,
na política , 
no comércio ,
na indústria ,
dedos conexos ,
 há dedos que se inspiram  nos objetos à espera , 
trêmulos objetos  entrando e saindo
dos dez tão poucos dedos  para tantos 
objetos  do mundo 
e o que há  assim no mundo 
que responda à pergunta grega ,
poder  manter-se  a paixão  com fruta comida 
ainda  viva ,
e fazer  depois com sal grosso  uma canção curtida 
pelas cicatrizes ,
palavra soprada  a que forno com que fôlego ,
que alguém perguntasse : tinha paixão ?
afastem de mim  a pimenta do reino ,
 o gengibre ,  o cravo da índia ,
ponham  muito  alto  a música  e que eu dance ,
fluido , infindável ,
apanhado por toda a luz antiga e moderna ,
os cegos , os temperados , ah não ,
que ao menos me encontrasse a paixão 
e eu me perdesse nela 
a  paixão grega ."

Herberto Helder 
in , " A Faca Não Corta  o Fogo "

Som  na  caixa ... 


  


26 comentários:

  1. Gosto muito de Herberto Helder e queria saber sim da paixão das outras pessoas.
    Bela escolha, Marisa.
    Bom domingo.
    Beijo*
    Renata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata , a paixão deve mover nossos passos , não é mesmo ? Agradeço a visita . Beijos

      Excluir
  2. Uma bela maneira de resumir se a vida foi em vão ou valeu bem a pena.

    Tenho paixão?

    talvez a dose não esteja certa...ou o objeto dela o correto...

    sei lá ...sou muito indecisa...tem dias.

    fazes-me pensar...


    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pérola , seus poemas espelham a paixão pelas palavras . Não será uma forma da paixão grega ? Beijos

      Excluir
  3. Oi Marisa, eu não conhecia o Herberto Helder, que poesia incrível! Adorei!
    Fiquei me perguntando: tenho paixão ou paixões? Quais são?
    Bjs e ótima semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane , todos temos paixão . Você , como médica psicanalista , sabe melhor que ninguém , concorda ? Beijos

      Excluir
  4. Também já fiz um post sobre Herberto Hélder, que considero um dos maiores poetas da Língua Portuguesa.
    Um homem que sempre rejeitou as luzes da ribalta.
    Um dos meus poetas preferidos, sem dúvida!
    Bela música, também.
    xx

    ResponderExcluir
  5. Laura , fico feliz que tenha acertado na escolha . Também gosto bastante de Herberto Hélder . Pensei na fluidez dos bailarinos dançando um tango para ilustrar o poema . Bom que tenha lhe agradado . Beijos

    ResponderExcluir
  6. Mas tem que ser com paixão , Mar . Abraços .

    ResponderExcluir
  7. Perfeita tua escolha! Lindo,Marisa!1 Adorei! um beijo,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  8. Contente que tenha gostado , Chica . Beijos

    ResponderExcluir
  9. Excelente combinação entre a fascinante música de Astor e e a grande poesia do poeta madeirense Herberto Helder, pai do jornalista e activista Daniel Oliveira.

    Grato abraço, amiga :)

    ResponderExcluir
  10. Sua aprovação me deixa feliz , São .
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Linda poesia Marisa,adorei ler,pois todos nós temos paixões.
    bjs amiga e obrigada pela visita e comentário.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim , Carmen Lúcia . Somos movidos por elas .
      Beijos

      Excluir
  12. A paixão é uma instância tão bem captada por este poeta singular da contemporaneidade portuguesa. Pela leitura do poema, apreende-se que nela se cruzam uma infinidade de sentidos, mas só possível pela instância criadora do artista. É ler e entregar-se a essa nova paixão, que é a poesia de Herberto Helder.
    Abraços, Marisa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Carlos , concordo com você .
      Sempre muito bom tê-lo por aqui com comentários que fazem brilhar meu espaço .
      Obrigada .
      Beijos

      Excluir
  13. Respostas
    1. Fico feliz de por tê-la agradado , Lisette .
      Beijos

      Excluir
  14. OI MARISA!
    POEMA QUE ENTRA EM NOSSOS SENTIDOS DE FORMA INTENSA E PIAZOLA, COMPLETOU.
    LINDO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Querida amiga

    Às vezes as palavras
    se escondem em nossas vidas.
    Então,
    saímos em busca de inspiração
    nos lugares onde a amizade
    se faz preciosa,
    (lugares como este)
    pois são os amigos
    que guardam as melhores
    palavras de nossa vida,
    para nos devolver e inspirar
    quando estivermos distantes
    de nós mesmos...

    Obrigado por sua generosa amizade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aluisio ,
      Ter um amigo com sua sensibilidade , nos espaços daqueles que o acompanham é uma benção . Obrigada . Beijos .

      Excluir
  16. Só podia ser do nosso Herberto Helder... Tenho dito!
    Parabéns pela(s) escolha(s) - poeta e som...
    Bjo, Marisa :)

    ResponderExcluir
  17. Obrigada , Odete . Feliz pela visita . Beijos

    ResponderExcluir