sábado, 13 de setembro de 2014

FICOU VAZIO ...

Alexei  Antonov 

" Ficou vazio o teu lugar à mesa . 
Alguém veio dizer-nos 
que não regressarias ,
que ninguém regressa de tão longe .
E , desde  então , 
 as nossas  feridas  têm a espessura  
do teu silêncio , as visitas são desejadas 
apenas  a  outras  mesas .
Sob  a tua cadeira , o tapete continua 
engelhado , como  à tua ida .
Provavelmente ficará  assim  para sempre .

No  outro Natal , quando a casa se encheu 
por  causa das crianças  e um de nós 
ocupou a cabeceira ,
não cheguei  a saber 
se  era  para  tornar  a festa menos dolorosa ,
se  para voltar   a sentir o quente do teu colo ."    

Maria do Rosário Pedreira , 
que me encanta com seu lirismo ,
dedicou o poema à  Avó ,
no livro Poesia Reunida , 2012 .
Todos nós , com certeza , temos
aqueles que nos fazem falta à mesa .
É  para eles , também , o poema .

Som  na  caixa ....






28 comentários:

  1. Boa tarde, Marisa,
    Belíssima escolha, embora repleto de melancolia, e tocar-me de maneira especial, no presente.
    Sim, todos temos uma cadeira vazia em nossas mesa, e várias em nossas vidas.
    E à medida que os anos passam, as faltas aumentam, e as ausências ainda são mais sentidas.
    Chegamos a um ponto em que parecemos colecionar lugares vazios à nossa volta. Sem querer, tomamos consciência do quanto a vida é volátil, mais que o éter...
    Um bjo amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carmem , a mim o poema emociona muito .
      Há dois anos , o lugar de meu pai à mesa está vazio e , o silêncio dele nos dói demais .
      Concordo com seu comentário .
      Realmente , a vida é um sopro .
      Obrigada pela visita .
      Beijos e boa semana

      Excluir
  2. Maria do Rosário Pedreira é uma das grandes poetisas portuguesas, tem poemas lindos e profundos, e por acaso ando a trabalhar num post sobre ela, mas não é para já...:-))
    Um poema lindo sobre o Natal, sem os usuais clichés da quadra, mas sobre o sentimento que nos aflora quando alguém que amamos deixa de ser presença no harmonioso convívio da ceia.
    Um belo poema com uma excelente!
    Bom fim de semana, Marisa.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura , a escrita de Maria do Rosário Pedreira privilegia o universo interior e a exposição de vivências íntimas , e o leitor descobre uma sensibilidade próxima do seu próprio cotidiano. Gosto muito do lirismo de sua obra .
      Espero pelo seu post sobre ela .
      Agradeço sua presença , sempre .
      Beijos

      Excluir
  3. Marisamiga

    Não haja dúvidas:entre quem escreve na nossa Língua (a de Camões, Amado, Pessoa, Drummond, Espanca, Clarice e de milhentos mais) avultam as/os Poetas.

    Eu sou mais de Prosa, mas adoro Poesia. E esta que publicas é mesmo boa. Perdão, é óptima. Muito obrigado.

    Já te sigo, já comento e quero rrrsss que me retribuas na minha Travessa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Henrique , fico contente que tenha gostado e que me acompanhe .
      Sou sua seguidora da Travessa e aprecio suas publicações .
      Abraços

      Excluir
  4. Linda poesia que esconde saudade e um pouco de melancolia pela ausência! bjs, ótimo domingo! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica , as ausências doem sempre , não é mesmo ?
      Maria do Rosário sabe com maestria descrevê-las . Boa semana !
      Beijos

      Excluir
  5. Que bela forma de elaborar a dor de uma ausência…não conhecia essa autora, vou pesquisar mais sobre ela.
    Bjs e ótima semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane , tenho certeza que vai gostar da obra de Maria Rosário Pedreira . É sempre um prazer tê-la por aqui . Beijos

      Excluir
  6. Um belo e sensível texto querida Marisa... bjus em ti.

    ResponderExcluir
  7. Eis como este poema, a partir de uma ausência, de uma falta à mesa, dá conta de um modo de relação com a realidade. Sem derramamento, enquanto ser da linguagem, o poeta, o homem, mostra liricamente como pelos sentidos o vazio é preenchido pela evocação, pela lembrança. Pela contenção discursiva que o lírico se sobrepõe à realidade. Um bela escolha de Maria do Rosário Pedreira. Ah! E a música...
    Abraços, Marisa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Carlos , a perda e a memória sempre estão presentes na obra de Maria do Rosario Pedreira , não é mesmo ? E com que delicadeza ela os coloca no romance e nas poesias . Escolhi cuidadosamente a música para acompanhar o poema . Me deixa feliz sua aprovação . Beijos

      Excluir
  8. Reli: belo pela doçura das palavras, pela profundidade do sentir a ausência através de gestos e atitudes do ser ausente. Aprecio imenso este género de poesia. Não são precisas palavras absurdas mas é necessário que se saiba transmitir a emoção na simplicidade de palavras.
    Parabéns pela partilha, Marisa, também pelo som...
    Meu beijo :)

    ResponderExcluir
  9. Odete , também a mim fascina a forma doce da escrita de Maria do Rosário Pedreira . É gratificante fazer a partilha . Agradeço a visita . Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá,Marisa
    Maria do Rosário Pedreira, belo lirismo e bela escolha sua ...essa correria alucinante que a vida ,moderna, me impõe, transformou até o meu ritual de se sentar à mesa , com a companhia da família...algo que era cultivado como um hábito mais do que sagrado...e agora , absolutamente, tenho saudades...tenho saudades da mesa da sala de jantar na casa de meus pais, aliás, na verdade, a saudade está em todo lugar. Está na mesa do café. Está na hora do jantar...está na presença de suas ausências...ficou vazio!
    Boa noite, Obrigado pelo carinho, belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felisberto , todos nós nos encontramos no poema , não é ? Obrigada por vir . Beijos

      Excluir
  11. Tão bom Marisa, queria compartilhar merecidamente! no G+ mas não encontrei o botaozinho.

    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Sissym ,
    Fico sensibilizada com seu gesto , mas não tenho G+ , por isso não encontrou o botãozinho.
    Mas, valeu pela generosidade .
    Obrigada .
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Marisa: tudo Divino por aqui..como sempre textos e músicas bem selecionadas!! abraços meus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada , Lia . Venha sempre . Beijos

      Excluir
  14. De nuevo felicidades por estas delicias que nos tiene acostumbrados en su bloc, un abrazo

    ResponderExcluir
  15. Fico contente que goste das postagens , Juan José Pedro . Escolho com carinho o que publico . Beijos

    ResponderExcluir
  16. Bom dia. já li Maria do Rosário Pedreira, do pouco que li, foi o suficiente para perceber a força e a beleza da sua escrita.
    Como sempre acontece, as suas belas publicações, valoriza cada vez mais o blog.
    AG

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  17. Fico agradecida , António . Abraços

    ResponderExcluir
  18. Muito bom este post:
    Imagem + texto + som = uma pequena GRANDE maravilha.
    Fiquei encantada

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  19. Fico muito contente , Paula . Partilho o que me agrada e me toca . A afinidade presente naqueles que me acompanham é motivo de alegria . Venha sempre . Beijos

    ResponderExcluir