domingo, 12 de março de 2017

CLARICE LISPECTOR , SEMPRE

Anna  &  Elena  Balbusso 

Leio e releio Clarice .
Assim , partilho com vocês , uma vez mais ,
a crônica  "POR NÃO ESTAREM DISTRAÍDOS" ,
contida  no livro  ,
 " A DESCOBERTA DO MUNDO"
que publiquei em outubro de 2014 .

" Havia a levíssima embriaguez  de andarem juntos ,
a alegria  como quando se sente  a garganta  um
pouco seca  e se vê que , por admiração , 
se estava de boca  entreaberta :
eles respiravam de antemão  o ar que estava
à frente  , e ter esta sede  era a própria água deles .
Andavam por ruas  e ruas falando e rindo, 
falavam e riam  para dar matéria e  peso à levíssima
embriaguez  que era a alegria da sede deles .
Por causa  de carros e pessoas , às vezes eles
se tocavam , e ao toque - a sede é a graça ,
mas as águas  são uma beleza de escuras - e ao
toque  brilhava o brilho da água deles , 
a boca ficando um pouco mais seca de admiração .
Como eles admiravam estarem juntos !
Até que tudo se transformou  em não .
Tudo se transformou em não quando eles quiseram
a mesma alegria deles .
Então a grande dança dos erros .
O cerimonial das palavras desconcertadas .
Ele procurava e não via, ela não via 
que ele não vira , ela que ,
estava ali , no entanto .
No entanto ele que estava ali .
Tudo errou , e havia a grande poeira das ruas ,
e quanto mais erravam , mais com aspereza queriam ,
sem um sorriso .
Tudo só porque  tinham prestado atenção ,
só porque  não  estavam bastante distraídos .
Só porque , de súbito exigentes e duros  ,
quiseram ter o que já tinham .
Tudo porque quiseram dar um nome ;
porque quiseram ser , eles que já eram .
Foram então aprender que , 
não se estando distraído ,
o telefone não toca ,
e é preciso sair de casa 
para que a carta chegue ,
e quando o telefone toca ,
o deserto da espera já cortou os fios .
Tudo , tudo por não estarem mais distraídos ."

Clarice Lispector 

Som  na  caixa ...
 
  

16 comentários:

  1. Aplaudindo a crônica e tua escolha! Muito legal! bjs, ótimo domingo! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada , Chica .
      Bom que tenha lhe agradado .
      Beijos

      Excluir
  2. Minha amiga,

    Eu sou fã da literatura da Clarice
    Lispector (tenho a coleção dos seus
    livros...) e gosto de reler como se
    tivesse a ler a primeira vez sempre...rss
    Mais uma sintonia nossa!
    Neste belíssimo texto dela, a evidência
    do espontâneo na partilha da alegria da
    companhia do outro, quase numa unidade
    de semelhanças na beleza da entrega
    dos gestos. Depois que se descuida
    dessa entrega genuína, corre o risco
    de perder o sentir do amor incondicional.
    A escolha da música e da cantora carimbam
    a marca de alta qualidade do bom gosto
    da Marisa e como aprecio e comungo
    deste teu bom gosto. Sempre maravilhosas
    as tuas escolhas!!
    Um domingo neste gesto da alegria!
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suzete ,
      Temos mesmo muita sintonia .
      Clarice , neste texto , confirma as palavras de Guimarães Rosa , no Grande Sertão Veredas : " Felicidade se acha é só em horinhas de descuido ."
      Assim , são nas horinhas desapercebidas da entrega que a embriaguez dos sentimentos acontece .
      Gosto muito da Amy Winehouse , que com profundidade e belíssima voz nos deixa enfeitiçados com seu cantar .
      Muito me alegra sua vinda , amiga .
      Beijos

      Excluir
  3. OI MARISA!
    ESCOLHA PERFEITA, CLARICE LISPECTOR E AMY WINEHOUSE, AMEI.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando os amigos aprovam nossa escolha é tão gratificante ...
      Obrigada , Zilani .
      Beijos

      Excluir
  4. Boa tarde, já muito tempo que leio Clarice Lispector, tudo que escreve é profundo com grande sentido, a escolha musical da desaparecida Amy Winehouse é perfeita para ouvir e recordar.
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. António ,
      Escolher Clarice é sempre bom .
      Leio e releio seus textos e a cada leitura mais eu gosto .
      Agradeço sua visita .
      Abraços

      Excluir
  5. Uma escritora de que gosto muito e é para mim uma referencia Clarice Lispector.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francisco ,
      A escrita de Clarice nos faz refletir sobre nossa condição , concorda ?
      Obrigada por vir .
      Abraços

      Excluir
  6. Respostas
    1. Maria ,
      Se você gostou , fico alegre em ter publicado , mais uma vez , Clarice .
      Beijos

      Excluir
  7. Por aqui é Outono , António .
    Obrigada .
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Não encontro adjetivo adequado para tão elevada e perfeita metáfora perante o desligamento e a indiferença relativamente a tudo o que deve carecer de nossa atenção e intervenção. A alienação é a ausência do sentir.
    Apesar do belíssimo e admirável texto de Clarice focar um eu e um tu, a minha leitura vai para lá da relação entre dois seres; trata-se do eu (o de cada um) e o outro ( o do universo).
    Sou fã de Clarice. Saiu do seu tempo. Uma inspiração!
    Grata pela partilha. Não conhecia esta crónica.
    (Escolha musical adequada)
    Bjo, Marisa :)

    ResponderExcluir
  9. Feliz com sua aprovação , Odete . Obrigada pela vinda a este espaço . Beijos

    ResponderExcluir