segunda-feira, 11 de junho de 2018

O MUNDO

Rozanne  Bell

" Um  homem da aldeia de Neguá , no litoral da 
Colômbia , conseguiu subir aos céus .
Quando voltou , contou .
Disse que tinha contemplado , lá do alto ,
a vida humana .
E disse que somos um mar de fogueirinhas .
- O mundo é isso -  revelou -.
Um montão de gente , um mar de fogueirinhas .
Cada pessoa brilha com luz própria  entre todas
as outras .
Não existem duas fogueiras iguais .
Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas 
e fogueiras de todas as cores .
Existe gente de fogo sereno ,
que nem percebe o vento ,
 e gente de fogo louco ,
que enche o ar de chispas .
Alguns fogos , fogos bobos , 
não alumiam nem queimam ;
mas outros incendeiam a vida 
com tamanha vontade  que é impossível 
olhar para eles  sem pestanejar ,
e quem chegar perto pega fogo ."

Eduardo Galeano 
in , " O Livro dos Abraços "

Som  na  caixa ... 


5 comentários:

  1. Bom dia, "Existe gente de fogo sereno ,
    que nem percebe o vento" o vento que passa nunca é igual ao anterior que passou, é como a vida, todos os dias são diferentes.
    Feliz semana,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. António , agradeço a visita .
      Abraços e boa semana a você .

      Excluir
  2. Gosto muito do Eduardo Galeano, seus textos tem a dose certa de sobriedade e poesia que nos faz parar, refletir e sorrir.
    Um beijo, minha querida amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudade de seus comentários , Danny.
      Venha sempre .
      Beijos

      Excluir
  3. Cada um com a sua luminosidade,
    seu dom de tocar o coração e o
    Caetano com esta música linda
    somou ao texto poético, querida
    Marisa.
    Adorei a imagem e conhecer esta
    artista...
    Como aprecio esta harmonia nas
    suas escolhas e que bom puder
    comentar e ver o coemntário
    publicado...rss
    Beijos.

    ResponderExcluir